Pluridisciplinar
19..Novembro
Debate Acesso Cultural e Terceira Pessoa
PORTA-TE COMO DEVE SER OU SAI!
3ª Feira_18h30
Fábrica da Criatividade de Castelo Branco

Os esforços dos espaços culturais em criar relações com pessoas que normalmente não os frequentam podem provocar tensões com quem já frequenta e considera o espaço “sua casa”. Desde o tipo de programação às regras de comportamento, as tentativas de mudança podem ser recebidas com forte resistência pelos frequentadores assíduos.

Exemplos não faltam: espetáculos “comunitários” que criam fricções entre a comunidade local e espectadores habituados a outros contextos de apresentação; a presença de espectadores de calções que provoca a ira de outros num conhecido teatro de ópera; a visita de uma família que cheirava mal a um museu; a inquietação de uma pessoa com autismo na fila de bilheteira; o uso dos telemóveis; a jovem com deficiência intelectual que manifestou o seu prazer durante um concerto de música clássica.

Como gerir esta tensão? Tudo se justifica em nome do chamado “desenvolvimento de novos públicos”? Uns terão mais razão que outros? Há uma forma correta de estar num espaço cultural?

_

Entrada Gratuita