Música
2..Julho
Rio do Tempo - Os poemas também compõem?
Grupo de Música Contemporânea de Lisboa
6ª Feira_21h00
Cine-Teatro Avenida

Depois de um ano dedicado aos seus 50 anos de história e às efemérides evocativas de Jorge Peixinho e Clotilde Rosa, este ano apresentamos Rio do Tempo.
Uma temporada de renovação da tradição musical contemporânea, qual fluidez do tempo, trazendo a herança até ao presente, revisitando as origens, sem, no entanto, deixar de construir pontes para a vanguarda da contemporaneidade.
Neste programa musical o foco principal é o texto e como esse texto impulsionou a o acto de compor.
Visitaremos obras em que os compositores partiram de um texto poético, que lhes era querido pelas mais diversas causalidades da vida, para dele sublimarem a criação da obra musical.
É no processo criativo da palavra à música, que os espectadores serão levados a entrar no tratamento do texto e de como este se entranha nos sons, chegando a disfarçar-se de tal modo, que a diferença entre estes dois mundos se esbate.
Eis então a Obra de Arte! Una na expressão do belo, do humanismo inerente à criação artística, de uma energia que faz girar o intelecto das culturas. Mousiké téchne dos nossos dias, manifestação de entendimento e de um sentir que escapa à lógica ou à razão.
Serão apresentadas obras de João Madureira, Clotilde Rosa, Jorge Peixinho, Eurico Carrapatoso e Fernando Lapa sobre textos de Fernando Pessoa, Eugénio de Andrade, Federico Garcia Lorca e Valter Hugo Mãe.

Entrada gratuita
Uso de máscara obrigatório