Pluridisciplinar
9..Setembro
Terceira Pessoa – Associação
QUERER-SE MORRER CONFORTAVELMENTE NA DOR
5ª Feira_21h30
Cine-Teatro Avenida

QUERER-SE MORRER CONFORTAVELMENTE NA DOR é um espetáculo de Filipa Matta e Óscar Silva criada no contexto do projeto pluridisciplinar “Rastro, Margem, Clarão”, no qual um colectivo de criadores em artes performativas, artes visuais e ensaístas se propuseram pensar a escrita de Rui Nunes (n. 1945) nas suas heterogeneidades, nódulos temáticos e inquietações, numa abordagem arrojada e heuristicamente transdisciplinar.

Ele - Ela está em casa, cheia de um outro mundo que não este. Está suja. Nunca parou de me olhar. Está
e carrega uma energia febril. Enoja-me.
Ela - Ele é tudo o que invento. Ele vem de um tempo arrastado como um cabrito morto. O que há nele é
podre. A morte prolonga-o cruelmente. Ou seja, só o invento a ele. Um corpo em decomposição que me
contamina. Tenho nojo.


FICHA ARTÍSTICA E TÉCNICA
Criação e interpretação_ Filipa Matta e Óscar Silva Desenho e operação luz e som_ pedro fonseca Concepção espaço cénico_ Filipa Matta, Óscar Silva, pedro fonseca Construção espaço cénico_ colectivo, ac Texto_ Filipa Matta e Óscar Silva, a partir da escrita de Rui Nunes Maquilhagem_ Célia Machado, Elisabete Silva Design de comunicação_ Cátia Santos Fotografia e vídeo de cena_ Tiago Moura Fotografia de cena_ Nuno Leão Produção executiva_ Bruno Esteves Produção_ Terceira Pessoa – Associação Financiamento_ Direção-Geral das Artes / República Portuguesa – Cultura, Teatro Municipal da Guarda Residências de criação_ Fábrica da Criatividade Castelo Branco, Devir/CaPA Centro de Artes Performativas do Algarve, O Espaço Do Tempo

_

Bilhete Gratuito

M/12

Uso de Máscara Obrigatório