Teatro
3..Dezembro
ESTE Estação Teatral
A AVENIDA: LIBERDADE
6ª Feira_21h30
Cine-Teatro Avenida

A AVENIDA: LIBERDADE Criando um espectáculo conceptualmente diferente no que concerne aos anteriores, mas percorrendo a linha narrativa para a última década do segmento proposto, a década de 70, a terceira parte da trilogia “A Avenida”, com o subtítulo “Liberdade!” reúne dramaturgicamente três coordenadas: a situação crítica de isolamento e subdesenvolvimento de um Portugal profundo, rural, nos últimos anos do regime ditatorial (que perdurava há cerca de quatro décadas); as marcas visíveis, as mudanças imediatas do dia 25 de Abril na vila do Fundão, tendo como elemento de referência espacial a Avenida Salazar (que passaria meses depois a intitular-se “da Liberdade”); e, finalmente, o que significou esta ruptura para uma família da aldeia do Telhado, na Cova da Beira, a poucos quilómetros da urbe. Aldeia (num contexto de uma miríade de outras aldeias vizinhas) onde a pobreza, o desemprego, o problema da guerra do ultramar, a emigração, a fome, o analfabetismo, a falta de saneamento básico e de condições de saúde colocavam as suas gentes como que num estado praticamente medievo e apático. Seguramente, forjando “portugueses de segunda”. O que significam, então, conceitos como “liberdade” ou “democracia” para quem não sabe ler ou ingere álcool para obter calorias para o trabalho ou não teve contacto com os mecanismos de um Estado de Direito e as garantias fundamentais baseadas no chamado Princípio da Dignidade Humana?

Dramaturgia, encenação e espaço: Nuno Pino Custódio

Interpretação: Andreia Galamba, Carolina Cunha e Costa, Cuca M. Pires, Samuel Querido e Dário Cunha (músico)

Figurinos: Patricia Raposo Direcção Musical: Dário Cunha

Desenho de Luz: Pedro Fino

Assistência de Produção: Joana Poejo

Fotografia: Miguel Proença

Design de Comunicação: Puretugal Traditions

Direcção de Produção: Alexandre Barata

_


M/12

Entrada: €5,00

Uso de máscara obrigatório